Candidatos debatem ideias e planos de governo

0
122

Encontro promovido pela Comissão Eleições Limpas da OAB reuniu os candidatos a prefeito

A Comissão Eleições Limpas da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil promoveu na noite de quinta-feira (30), no Salão Vermelho do Iesa, o primeiro debate entre os candidatos à majoritária em Santo Ângelo. O encontro foi mediado pelo jornalista Claudio Karlinski, e foi composto por quatro blocos.

No primeiro bloco, os candidatos responderam à pergunta “Por que quero ser prefeito de Santo Ângelo?”. No segundo bloco, os candidatos responderam a perguntas sobre os temas Saúde; Desenvolvimento Econômico e Social; Habitação e IPTU; Meio Ambiente; Educação; e Turismo e Cultura (veja na edição deste sábado o que cada candidato disse).

PERGUNTAS ENTRE OS CANDIDATOS

No terceiro bloco, os candidatos fizeram perguntas entre si. Valdir Andres perguntou a Adolar Queiroz sobre o percentual do orçamento do município para o pagamento do funcionalismo público. Queiroz perguntou a Fernando Diel sobre as propostas para o setor primário. Já Fernando perguntou a Andres sobre as propostas para prevenir a drogadição no município.

Na segunda etapa de perguntas, Queiroz perguntou a Andres as propostas para a saúde no município. Fernando perguntou a Queiroz sobre os motivos da demora em concluir o Ginásio Marcelo Mioso. E, por fim, Andres perguntou a Fernando sobre os planos para melhorar a energia no interior.

O quarto bloco foi para considerações finais. O coordenador da Comissão Eleições Limpas da OAB, Sérgio Rolim de Moura, destacou que os candidatos conduziram o debate “com muita elegância”. “Santo Ângelo está muito bem de candidatos, qualquer que seja o eleito com certeza honrará muito bem sua missão”, disse, ao falar em nome da OAB que a coordenação saiu satisfeita com a participação.

Por que quero ser prefeito de Santo Ângelo?

Adolar Queiroz: Destacou que é santo-angelense, pai de cinco filhos, e que é candidato por uma decisão de seu partido. “Tenho uma carreira política aqui em Santo Ângelo. É onde me criei e tenho minha família, bem como duas empresas”, afirmou.

Queiroz disse que representa um projeto político que iniciou em 2005, onde começou como vice-prefeito. “Tenho três mandatos de vereador, dois de vice-prefeito, participei da gestão do governador Alceu Collares, gosto de minha terra, tenho uma caminhada política de 20 anos. Este projeto que represento planejou Santo Ângelo para o futuro, e fez a diferença pelo nosso município”, completou.

Fernando Diel: “Quero ser prefeito porque amo esta terra, tenho orgulho daqui e me sinto preparado para assumir essa responsabilidade”, iniciou Fernando a sua fala, ao lembrar que tem experiência como vereador e buscou conhecimento ao fazer uma pós-graduação em Gestão Pública. “Reconheço o trabalho das administrações anteriores, mas podemos desenvolver e ter mais progresso para esta cidade.”

O candidato fez questão de lembrar que não levou nenhuma pessoa para lhe assessorar durante o debate por se sentir preparado. “Estou me colocando à disposição da população para ser uma ferramenta para melhorar a vida de quem reside aqui”, finalizou.

Valdir Andres: “Quero ser prefeito para modificar muitas coisas em Santo Ângelo. Colocar minha experiência e dar minha contribuição para esta cidade”, iniciou Andres, ao afirmar que nos últimos dois anos vem se preparando para fazer um projeto para “retomar o desenvolvimento de Santo Ângelo”. “Fui prefeito, deputado por três mandatos, atuei em comissões na Assembleia Legislativa, assumi a Secretaria de Minas e Energia e também no Banrisul. Aprendi muito, e coloco essa experiência a serviço de Santo Ângelo”, disse Andres.

O candidato destacou que não quer assumir esse cargo por vaidade. “Meu propósito não é outro senão retomar o desenvolvimento e fazer uma cidade maior para todos nós”, completou.

SAÚDE

Qual a sua opinião sobre a saúde em Santo Ângelo, e quais as propostas que a sua coligação apresenta?

Adolar Queiroz: “Em 2005, enfrentamos o primeiro desafio, recuperar o nosso Hospital Santo Ângelo, que ameaçava fechar as portas. Por iniciativa da administração conseguimos mudar a realidade. O HSA prestava 11 serviços, e hoje são mais de 40. Construímos mais de oito postos de saúde, descentralizando o atendimento da farmácia, com a construção de quatro farmácias, e ampliamos o número de equipes da Estratégia Saúde da Família. Conquistamos a Unidade de Pronto Atendimento no Bairro Pippi, que vai desafogar o novo plantão do Hospital Santo Ângelo e que deve ficar pronto ainda este ano”, iniciou a fala Adolar Queiroz.

O candidato afirmou que em sua administração pretende descentralizar ainda mais a saúde, levando o atendimento ao interior do município. “Com a Cidade Digital que conquistamos, facilitará a marcação de consultas em postos de saúde”, completou.

Fernando Diel: “Em nosso governo, a saúde será prioridade. É a área mais carente do município. Nos deparamos com a demora no agendamento de consultas e entrega de medicamentos. Precisamos encontrar meios para que as pessoas não precisem enfrentar filas de madrugada”, disse Fernando.

“A recuperação do Hospital Santo Ângelo não é só resultado do trabalho da Prefeitura, mas de um conjunto de entidades e dos funcionários que se doaram para melhorar as condições. A dívida do HSA em 2005 era de R$ 11 milhões, hoje é de R$ 20 milhões. E ainda tivemos o fechamento do Hospital Militar e do Hospital Santa Isabel. Precisamos ampliar o número de ambulâncias, pois pelos dados que apurei, hoje a cidade possui só uma. Na Prefeitura faremos muitas melhorias nessa área”, completou o candidato.

Valdir Andres: “Eu concordo com o Fernando: a saúde vai mal. Não adianta ter boa casa, bom carro, se a saúde não é prioridade. Com relação ao Hospital Santo Ângelo, temos que dar mérito a quem ajudou a recuperá-lo, como o ex-secretário estadual de Saúde Osmar Terra e o deputado federal Darcísio Perondi, que destinou emendas para a nossa casa de saúde”, disse o candidato.

Andres afirmou que os postos de saúde têm que abrir até mais tarde, “para desafogar a emergência do Hospital Santo Ângelo”. “As farmácias têm que ter plantão no final de semana. Vamos acabar com as filas de madrugada em postos de saúde. Em comparação com Ijuí, que investe 30% do orçamento na saúde, Santo Ângelo investe só 16%”, observou.

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL

Qual a sua opinião sobre esse setor, e quais as propostas que serão implementadas caso seja eleito?

Adolar Queiroz: “Em nosso governo criamos várias leis de incentivos às empresas, com isenção de impostos. Vivemos um momento com grandes investimentos, onde foram aplicados mais de R$ 250 milhões em obras importantes. Essas isenções fizeram com que a iniciativa privada investisse mais de R$ 400 milhões no município. Tivemos um resultado positivo de geração de empregos de mais de 5 mil vagas com carteira assinada de 2005 para cá”, afirmou Queiroz.

Conforme o candidato, seu projeto é de “continuar valorizando as empresas”. “No ano que vem teremos um novo Distrito Industrial, o Léo Fett, em uma área de 50 hectares. Novas empresas vão se instalar com este novo distrito”, completou Adolar.

Valdir Andres: “Eu discordo. Todos os dados levantados pelos nossos técnicos mostram desvantagem em relação aos municípios da região em índices como o PIB, o IDESE, o ICMS é menor que Santa Rosa, Ijuí e Cruz Alta. Santo Ângelo está em decadência econômica. Há algum fenômeno acontecendo em nossa economia. A iniciativa privada vai bem, mas os retornos são menores”, afirmou o candidato.

Andres disse ainda que “o único Distrito Industrial que temos fui eu que fiz. Nós vamos criar dois distritos industriais, melhorar a lei de incentivo e buscar novas empresas para Santo Ângelo”.

Fernando Diel: “Esta é uma área que precisamos avançar. Teremos carinho pelas micro e pequenas empresas. Vamos buscar a parceria do Senai, Senac e outros para a qualificação. Também apoiar a criação de parques tecnológicos e incubadoras, para ter a oportunidade de transformar a ideia em realização”, destacou Fernando.

Para o candidato, é necessário “criar alternativas para o setor primário, essencial para a economia”. “Precisamos de parques industriais, e com certeza teremos. Várias empresas que visitamos querem esse espaço. Também queremos criar a Câmara de Comércio Exterior para ajudar as empresas a exportarem.”

HABITAÇÃO E IPTU

Qual a sua opinião sobre a política habitacional e tributária correspondente, e quais são suas propostas de campanha?

Adolar Queiroz: O candidato iniciou a fala respondendo ao candidato Valdir Andres. “Realmente estamos com o PIB atrás de Santa Rosa, mas muito menos do que na sua época. Quanto à habitação, nunca avançamos tanto. Fizemos quase três mil moradias em parceria com o Governo Federal. Demos oportunidade para que as pessoas tenham vida mais digna, e hoje estão morando em loteamentos ou prédios de apartamentos. Estão tramitando mais nove projetos habitacionais para Santo Ângelo no Governo Federal, para famílias com renda de até três salários mínimos não pagarem mais aluguel”, destacou.

Queiroz continuou: “Também investimos em reformas. Temos parceria com a iniciativa privada, como no Loteamento 300 anos, da Fundimisa, em que quase 100 funcionários foram beneficiados. Tiramos pessoas da beira do Itaquarinchim, que estão em moradias mais dignas”.

Valdir Andres: O candidato mostrou índices do ICMS, em que compara no período em que foi prefeito com o retorno atual. “Tivemos queda de quase 20% nesse período. Com isso dá para fazer 500 casas ou comprar 120 ambulâncias”, disse.

Ao falar de habitação, disse que em seu governo fez vários bairros. “Fizemos casas para funcionários da Fundimisa e do Curtume Basso. Comprávamos o material e as pessoas construíam. Vamos fazer também em mutirão habitacional”, disse, ao criticar que na administração atual “foram gastos cerca de R$ 900 mil de recursos próprios em projetos habitacionais”. “A habitação voltará a ser prioridade no nosso governo. Vamos congelar o IPTU, pois é dos mais caros do Estado”, prometeu.

Fernando Diel: “Minha vida política sempre foi pautada pela coerência e pela transparência. Reconheço o programa Minha Casa, Minha Vida, para que pessoas possam realizar o sonho da casa própria. Iremos manter e buscar a ampliação dessa parceria. Já com relação ao Banco de Materiais de Construção, urbano e rural, existem famílias que precisam de algumas melhorias em sua casa. A demanda é muito grande, então vamos investir mais nessa área”, destacou Fernando.

Com relação ao IPTU, Fernando Diel afirmou que “buscaremos a regularização de áreas ocupadas. Vamos mapear a cidade e retornar em melhorias para o bairro parte da arrecadação do IPTU daquela área”.

EDUCAÇÃO

Na sua opinião, a educação em Santo Ângelo está no rumo certo? E quais as suas propostas de governo para o setor?

Fernando Diel: “O setor de educação é dos pilares mais fundamentais para vislumbrar um futuro melhor para a sociedade. A infraestrutura das escolas precisa de melhorias. Algumas escolas de Educação Infantil tiveram salas fechadas, então precisamos reforçar a infraestrutura. Nosso plano de governo tem o bolsa-creche, que é um incentivo para as mães que precisam trabalhar e não conseguem vagas em escolas de Educação Infantil. Mas isso é paliativo, até construir outras creches”, destacou Fernando.

O candidato disse que pretende buscar alternativas para as mães que precisam trabalhar no sábado de manhã, para ter um local onde deixar seus filhos. “Iremos rever o plano de carreira dos professores municipais. Iremos ampliar o transporte escolar, e buscar ampliar a rede de ensino profissionalizante”, acrescentou o candidato.

Valdir Andres: Iniciou sua fala respondendo ao candidato Adolar Queiroz. “Eu jamais disse que terminei todas as casas. O projeto do tubão começou no meu governo. A Estação de Tratamento Índia Lindoia foi inaugurada pelo governo Yeda”, disse, para então falar do tema da pergunta.

“A educação precisa melhorar, é pilar para tudo. Tem escola no Bairro Castelarim com rachaduras. Temos que aumentar os prédios, dar mais condições aos professores, não fazer uma secretaria para uma meia dúzia, e sim para todos. Queremos valorizar nossos quadros de funcionários”, disse, ao destacar que possui um projeto de um computador por aluno.

Adolar Queiroz: “A educação para nós sempre foi prioridade. O plano de carreira foi discutido com os professores, e atendemos suas reivindicações. Fomos o primeiro município do país a implantar o piso nacional dos professores, já em 2011. Implantamos a Escola de Tempo Integral, que dobrou o número de alunos e tem oficinas. Reformamos todas as escolas. Construímos cinco novas creches para atender as crianças”, destacou Queiroz.

O candidato afirmou ainda que o município conquistou o Instituto Federal de Educação de Santo Ângelo. “Já está aprovado. Vai entrar em licitação neste mês a construção dos prédios. O Ifet terá Ensino Médio, graduação e pós-graduação. Santo Ângelo depois do Ifet vai ser outro, vai atrair muitos alunos”, concluiu.

MEIO AMBIENTE

Na sua opinião o meio ambiente está sendo bem tratado em Santo Ângelo, e quais serão as melhorias que o senhor pretende implementar, caso seja eleito?

Valdir Andres: “O meio ambiente está sendo tratado de forma regular. O Departamento do Meio Ambiente está funcionando de forma boa, com atividades como o lixo e áreas de preservação permanente. Como secretário de Minas e Energia tratei muito desta área. Conheci na Espanha um sistema de aproveitamento de gás metano a partir do lixo. É possível ter aproveitamento econômico do lixo. Se possível iremos transformar o Departamento de Meio Ambiente em uma secretaria”, afirmou.

Andres afirmou ainda que pretende revitalizar o Itaquarinchim, com a construção de um parque às margens do riacho e uma ciclovia. “O nosso rio tem que ser preservado”, completou.

Fernando Diel: “É preciso melhorar o tratamento do meio ambiente em Santo Ângelo. Temos o Partido Verde em nossa coligação, que muito contribui com ideias na preservação do meio ambiente. Temos que investir na conscientização das pessoas na coleta seletiva do lixo. E também investir nas pessoas que trabalham na coleta. Apoiaremos a construção de cisternas, para captação de água nas casas, no meio urbano e rural”, disse Fernando.

O candidato destacou que sua empresa possui o Selo Verde, pois destina corretamente o resíduo dos equipamentos. “É um custo, mas também um investimento. As futuras gerações comemorarão se fizermos a nossa parte”.

Adolar Queiroz: Começou sua fala respondendo ao candidato Valdir Andres sobre a pergunta anterior. “Nós contamos menos de mil terrenos na sua época, e pouco mais de 400 casas prontas”, disse o candidato. Ao falar sobre meio ambiente, afirmou que na época do prefeito Adroaldo Loureiro foram construídos 23 quilômetros de rede de esgoto. “No nosso governo fizemos a Estação de Tratamento Índia Lindoia, que vai atender 100% do esgoto. Estamos retirando as famílias que estão às margens do Itaquarinchim, e colocando em novas casas. O Demam, quando assumimos, possuía apenas três funcionários. Hoje são mais de 40. Temos um novo projeto já autorizado, para ampliar o tubão até a Avenida Salgado Filho, para poder ligar às redes de esgoto das casas”, completou.

TURISMO E CULTURA

Na sua opinião, o que é preciso fazer para incrementar o turismo e a cultura em Santo Ângelo, e a preservação do patrimônio histórico da cidade?

Adolar Queiroz: “Valorizamos muito a nossa história. No primeiro ano de governo, começou a reforma do Centro Histórico, que hoje é cartão de visita e recebe muitas excursões. Criamos o Canto Missioneiro, a Feira do Livro, Santo Ângelo em Dança, Cidade das Tortas, Carnaval de Rua e Natal Cidade dos Anjos. Aprovamos a Lei de Incentivo à Cultura em Santo Ângelo, e vamos valorizar mais a nossa história, criar um fórum para debater com a comunidade para valorizar mais o turismo”, disse Queiroz.

Valdir Andres: “Na década de 80, eu era vice-prefeito e construímos o Parque da Fenamilho. Depois terminei o parque, construí a pista de rodeios. Pensem em Santo Ângelo sem o Parque da Fenamilho. Construí o Teatro Antônio Sepp e o Centro de Cultura. No passado realizei muito por Santo Ângelo, então não preciso falar muito. Vamos incentivar os eventos, manter os que já temos, vamos apoiar a Semana Farroupilha, dar apoio aos CTGs, manter o Carnaval de Rua e ocupar mais o Parque da Fenamilho”, destacou o candidato.

Fernando Diel: “Queremos continuar e fortalecer os eventos como o Canto Missioneiro e o Carnaval de Rua. Vamos desenvolver programas de incentivo ao turismo religioso. Queremos investir mais nas tradições, na Semana Farroupilha, vamos fazer mais investimentos nessa área. Queremos criar e apoiar um evento como o Rodeio Internacional de Vacaria. Meu candidato a vice-prefeito tem experiência em organização de eventos”, disse Fernando.
O candidato propôs ainda criar um Centro de Convenções, “para colocar Santo Ângelo na agenda dos grandes eventos”. Já com relação ao patrimônio histórico, “o projeto foi para o Legislativo e foi retirado. Vamos conversar com os proprietários. Foi tombada uma área que contempla cerca de 500 imóveis”, disse.