Governador e ministro dão ordem de início às obras de construção de Unidade de Pronto Atendimento na Pippi

0
133

Ministro Padilha afirmou que 96% dos casos atendidos em pronto socorro podem ser resolvidos em UPAs

 O governador Tarso Genro assinou nesta sexta-feira (9), termos de compromisso para qualificação dos serviços de Saúde Pública com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no Palácio Piratini, em Porto Alegre. Entre eles está a ordem de início das obras das Unidades de Pronto Atendimento 24 horas (UPAs) de Lajeado e Santo Ângelo.

O ato contou com a presença do prefeito de Santo Ângelo, Eduardo Loureiro, e do secretário estadual da Saúde, Ciro Simoni.

A UPA será instalada no Bairro Pippi, com investimento de aproximadamente R$ 3 milhões. Os equipamentos irão custar em torno de R$ 800 mil. O Ministério da Saúde irá construir e equipar a unidade, e a manutenção do local será dividida entre os governos Federal (50% do custo), Estadual (25%) e o Município (25%).

As UPAs 24 horas são estruturas de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde e as emergências hospitalares, onde em conjunto com estas compõe uma rede organizada de Atenção às Urgências e Emergências. “Onde já estão em funcionamento, as UPAs são capazes de resolver 96% dos casos, o que significa que de cada 100 pessoas que procuram o pronto socorro, apenas quatro precisam ir a um hospital”, afirma o ministro Padilha.

A Unidade de Pronto Atendimento deverá ocupar uma área no terreno localizado junto ao Centro Social Urbano, local considerado estratégico por estar situado numa região populosa e no centro de diversos bairros da Zona Leste da cidade.

ESTRUTURA

Além dos consultórios, a UPA terá salas de nebulização e medicação, sutura, raio-X e gesso e laboratório, onde serão realizados na hora os exames pedidos pelos médicos. A sala de observação para adultos contará com oito leitos.

TROCA DE LOCAL

Inicialmente, estava previsto que a Unidade de Pronto Atendimento seria instalada no centro da cidade, ao lado do Colégio Getúlio Vargas. Porém, como o terreno disponível não possui dimensões exigidas pelo Estado (aquele terreno possui 15 metros de largura por 100 metros de comprimento, enquanto que a exigência é de que tenha no mínimo 50 metros de largura por 70 metros de comprimento), foi decidido mudar de local.

Outro fator que foi levado em consideração para a mudança do local, é o fato de que neste ano foi inaugurado o novo Pronto Atendimento do Hospital Santo Ângelo, a uma quadra de onde seria instalada a UPA. “A mudança para o Bairro Pippi dará uma descentralização ao atendimento da saúde”, ressalta o prefeito Eduardo Loureiro.