Queiroz: “Mudamos o desenvolvimento econômico e social de Santo Ângelo e isso precisava continuar”

0
115

Atual vice-prefeito e candidato do PDT nas eleições municipais avalia momento político

 O vice-prefeito e candidato do PDT nas eleições municipais, Adolar Queiroz, disse na quinta-feira (11) em entrevista no programa Rádio Visão, da Rádio Santo Ângelo, que sai de cabeça erguida do processo eleitoral.

Queiroz agradeceu aos 18.988 votos recebidos dos santo-angelenses, à sua família, à candidata a vice-prefeita Fátima Moor, aos coordenadores de campanha e aos candidatos a vereador.

Adolar Queiroz disse que infelizmente algumas pessoas não entenderam que o projeto do atual governo tinha que prosseguir por mais 4 anos.

“Desde 2004 nós mudamos o desenvolvimento econômico e social de Santo Ângelo e isso precisava continuar”, afirmou.

Disse o candidato: “Quando se perde, não é sozinho, mas sim o coletivo. Sabemos que houve falhas, porém toda a militância trabalhou e buscou conscientizar a comunidade da continuidade de um projeto de crescimento da cidade”.

Adolar Queiroz mencionou que mesmo os vereadores alcançando 30 mil votos, não houve deslealdade com a majoritária.

“Entendo e respeito que cada candidato a vereador possui o seu perfil de política e muitas vezes adota uma posição individualista”, disse.

Adolar Queiroz admitiu que o governo dele e de Eduardo Loureiro sofre um desgaste após 8 anos.

Reconheceu que obteve baixa votação nas comunidades do interior, pois precisou enfrentar até mesmo as condições climáticas como a seca.

“Fizemos tudo que estava ao alcance da administração para auxiliar os agricultores, porém isso não foi suficiente para refletir em nossa votação”, afirmou.

Queiroz disse esperar que a proposta vencedora das eleições – Valdir Andres e Nara Damião – possa prosseguir com os projetos deixados pela atual administração e que nada sofra solução de continuidade.

Por fim, frisou que como possui uma vida pública de mais de 20 anos, responsável e honesta, continuará atuando pelo bem de Santo Ângelo e sendo um fiscal do novo governo.