Sede da AMM deve servir de suporte físico e de pessoal aos prefeitos, defende presidente Enio Carvalho

0
102

Associação dos Municípios das Missões elegerá nova diretoria nesta sexta-feira

O presidente da Associação dos Municípios das Missões, Enio Coletto Carvalho, defende que a sede da entidade, inaugurada no final de 2012, dê suporte aos municípios integrantes, tanto como espaço físico quanto com pessoal para questões técnicas. Carvalho entrega a direção da entidade nesta sexta-feira (1º), às 9h, durante reunião com os prefeitos na sede da associação, em Cerro Largo.

Durante a reunião, será feita a prestação de contas do último ano, a aprovação das atas anteriores, eleição da nova diretoria da AMM e da Funmissões e a entrega oficial do auditório, que tem capacidade para 400 pessoas. “A ideia é que o auditório sirva de espaço para que os prefeitos façam cursos e reuniões. Como é grande, é possível utilizar divisórias móveis e usar como se fossem várias salas ao mesmo tempo. Sai mais barato trazer um instrutor de Porto Alegre do que os prefeitos irem lá”, explica Enio Carvalho.

BALANÇO DA GESTÃO

Ao fazer um balanço de sua gestão como presidente da AMM, o ex-prefeito de Vitória das Missões, hoje secretário de Educação do município, afirma que a principal conquista é o avanço na construção da sede. “Isso começou com o prefeito Orcelei Dalla Barba (ex-presidente da AMM). Em paralelo a isso, continuou a busca de recursos para a região e a grande luta por causa da estiagem”, lembra Enio Coletto Carvalho.

Conforme o presidente da entidade, houve avanços no apoio aos municípios em questões ambientais, como na discussão sobre aterros sanitários. Enio destaca que também teve sequência a luta pelo prolongamento da BR-392 e pela ponte entre Porto Xavier e San Javier, pleitos históricos da região.

“Outra grande discussão que teve avanço foi a da distribuição dos royalties do petróleo, em que a AMM esteve sempre representada nessas lutas municipalistas”, destaca Enio Carvalho. A redistribuição, aprovada pelo Congresso e vetada pela presidente Dilma, injetaria R$ 13 milhões nas prefeituras das Missões. O veto deve ser analisado pela Câmara dos Deputados em fevereiro. “Para 2013 a expectativa é melhor que nos últimos dois anos. Começamos bem o ano com os prefeitos buscando verbas em Brasília, e a presidente Dilma prometeu bastantes recursos para os municípios, mais do que nos últimos anos”, afirma Enio.

Uma luta que foi destaque por Enio Carvalho foi a busca pela reposição dos recursos perdidos com a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). “Buscamos uma 13ª parcela do Fundo de Participação dos Municípios para reparar essas perdas, mas infelizmente não conseguimos”, lamenta Enio.

PLEITOS PARA O FUTURO

Conforme o presidente da AMM, o próximo representante da entidade terá diversas reivindicações coletivas para defender: a extensão da BR-392, ligando Santo Ângelo a Santa Maria; a construção da ponte internacional, a ligação asfáltica dos municípios, a ampliação do aeroporto de Santo Ângelo, entre outras. “São pleitos constantes de nossa região.”

Porém, Enio Carvalho diz que o grande desafio da AMM é torná-la um órgão permanente de atenção aos municípios. “A nova sede deve ser um local de treinamento e qualificação dos servidores públicos. E os prefeitos devem ter nela o suporte na elaboração de projetos para a busca de recursos”, destaca, ao defender que a associação deve se equipar de recursos humanos mantidos com as contribuições mensais dos municípios.

“A sede custou em torno de R$ 700 mil. Construímos ela economizando. Agora é possível estruturar com pessoal a AMM, para dar suporte em ações como o meio ambiente, trânsito, aterros sanitários, legislação ambiental e demais projetos. Há muitas ações em que são necessárias pessoas. E a AMM pode dar esse suporte”, finaliza.

ELEIÇÃO

Os partidos com o maior número de prefeitos eleitos devem indicar os presidentes da AMM nos próximos quatro anos. Assim como foi em anos anteriores, partidos com representação menor também devem integrar a diretoria da entidade. Na última gestão, foram eleitos presidentes da entidade os prefeitos Vilmar Kaiser (PP), em 2009; Eduardo Loureiro (PDT), em 2010; Orcelei Dalla Barba (PMDB), em 2011; e Enio Coletto Carvalho (PP), em 2012.