Emater/RS-Ascar orienta implantação de pomar doméstico em São Pedro do Butiá

0
191
O casal Miguel e Inês Vogel, da linha Taipão Frente, em São Pedro do Butiá, recebem Assistência Técnica e Social por meio do plano. Foto: Divulgação/Emater

Com a intenção de promover segurança e soberania alimentar às famílias beneficiárias, bem como uma oportunidade de geração de renda, o plano socioassistencial é executado em São Pedro do Butiá pela Emater/RS-Ascar, em parceira com a Secretaria Municipal de Assistência Social e com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Entre as 55 famílias que recebem Assistência Técnica e Social por meio do plano está a do casal Miguel e Inês Vogel, da linha Taipão Frente. Na propriedade dos Vogel, está sendo implantado um pomar doméstico, com o propósito de obter frutas durante todo o ano, sendo inclusive uma unidade de referência do plano socioassistencial.

Por meio do pomar, composto por diversas espécies e variedades, pretende-se demonstrar orientações técnicas às demais famílias inseridas no plano socioassistencial, como implantação, adubação, tratamentos, poda e colheita. Com projeto elaborado por técnicos dos escritórios Regional e Municipal, a Emater/RS-Ascar orientou a definição do local, escolha das espécies e o plantio.

Entre as espécies e variedades sugeridas para o pomar doméstico, com vistas à obtenção de frutas maduras durante o maior período possível do ano, estão a bergamota Ukitsu e maçãs Eva e Princesa, com o período de maturação entre e fevereiro e março; as bergamotas Ponkan e comum e laranjas umbigo Bahia e Comum, entre maio e julho; bergamota Murcott ou Nadorcott, de julho a agosto; laranja Pera, em maturação nos meses de agosto e setembro; pessegueiro BRS-Libra (amarelo), em setembro, e a laranja Valência, de setembro a outubro. Grande parte dos pessegueiros estará com os frutos maduros em outubro, a exemplo do Pessegueiro BRS-Bonão (amarelo), BRS-Rubimel (amarelo), BRS-Kampai (branco) e BRS- Fascínio (branco). A laranja Folha Murcha também tem sua colheita entre outubro e novembro. No mês de novembro é a vez da colheita do pêssego Chimarrita (branco), da ameixa Reubennel (amarela) e do figo Roxo de Valinhos.

Caso for cultivada uma muda de cada variedade são necessários de 380 a 400m², uma vez que recomendação de espaçamento é de 5X4m entre plantas (área de 20m² por planta), com exceção do figo, que pode ser plantado no espaçamento de 4X2m. O extensionista rural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar, Gilmar Francisco Vione, lembra, entretanto, que a época de maturação pode variar conforme as condições climáticas de cada ano, sendo a temperatura fator determinante.

Os próximos passos, segundo a equipe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, são o envolvimento das famílias assistidas pelo Plano Socioassistencial na valoração monetária dos alimentos produzidos, além de oficinas de processamento de frutas, realização de dia de campo em segurança e soberania alimentar, quando possível, assim como assessoramento na gestão de recursos existentes nas propriedades. A Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) a essas famílias acontece de forma gratuita, continuada e planejada, com o objetivo de colaborar com a promoção da cidadania e da qualidade de vida.

 

Informações: AI/ Emater/RS-Ascar/Regional de Santa Rosa

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here