Samu do Hospital Santo Ângelo completa 11 anos

0
116
Nos 11 anos de atuação, foram realizados 24 mil atendimentos. Foto: Divulgação

O Samu do Hospital Santo Ângelo completou, na segunda-feira, 21, 11 anos de funcionamento no município. O serviço entrou em operação e, 2009 e por muitos anos funcionou no Hospital Santo Ângelo, mas há alguns meses a base foi transferida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Pippi.

Neste período foram registrados 24.010 atendimentos clínicos, traumas e remoção. A média diária é de 8 atendimentos com predomínio de casos clínicos de vítimas com doenças metabólicas, cardiológicas e respiratórias. Depois vêm os casos traumáticos com ferimentos de arma de fogo, arma branca, acidentes de trânsito, queda entre outros.

Alex Martins Antunes, coordenador de enfermagem do Samu, diz que o serviço utiliza duas ambulâncias, sendo uma Unidade de Atendimento de Suporte Básico (com técnico de enfermagem e condutor) e uma Unidade de Atendimento de Suporte Avançado (com médico, enfermeiro e condutor). “O serviço é hoje uma referência no Estado e sempre contamos com o importante apoio do Hospital Santo Ângelo.”

Serviço

A pessoa que necessita do serviço pode ligar gratuitamente para o número 192. A ligação e atendida pelo Samu Metropolitano, em Porto Alegre, pela Central de Regulação. As informações sobre o caso são anotadas pela telefonista. Os dados são repassados para um médico que analisa e define o tipo de viatura que será encaminhada até o local do socorro. Ao mesmo tempo repassa orientações sobre primeiros socorros para quem fez a ligação.

Equipe

O serviço conta com equipe de profissionais altamente qualificada e formada por 7 médicos, 6 enfermeiros, 5 técnicos de enfermagem e 11 condutores de veículos de emergência. O Samu tem como coordenador médico, Flávio Christensen, e como coordenador de enfermagem, Alex Martins Antunes.

Regulação

O enfermeiro Alex Martins Antunes conta que o Samu orienta as pessoas que sinalizem o local do socorro para facilitar a localização e agilizar o atendimento. Alex também destaca que, desde 2011, através da resolução 106/2011, está em funcionamento o serviço de regulação inversa, que permite que o Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Rodoviária Estadual, Secretaria Municipal de Saúde e Departamento Municipal de Trânsito possam acionar diretamente o Samu local para a prestação de socorro.

Educação continuada

O Samu desenvolve trabalho de Educação Continuada que neste período de pandemia teve suas atividades paralisadas. O trabalho conta com palestras e treinamentos em Santo Ângelo e outros municípios da região. As equipes repassam orientações de primeiros socorros a empresas, instituições, entidades e escolas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here