Até agora, Polícia Civil ouviu seis testemunhas no caso do assassinato cometido no Bairro Pilau

0
96

José Nelci Meirelles, 47 anos, foi morto com dois tiros. Principal suspeita é sua companheira

Até ontem (12), seis testemunhas, entre familiares e vizinhos, haviam sido ouvidas pela Polícia Civil no trabalho de investigação do assassinato de José Nelci Meirelles, 47 anos, ocorrido na tarde da última terça-feira, por volta das 13h. José, que tinha antecedentes criminais por receptação e furto, foi morto com dois tiros – um atingiu seu ouvido e outro as costas.

O crime ocorreu na sala da casa onde ele morava com sua companheira e filhos, na Rua Teodomiro Alves Teixeira, no Bairro Pilau, numeral 454. A principal suspeita da polícia é de que a companheira de José Nelci tenha sido a autora dos disparos. Um revólver calibre .38 foi encontrado no local do crime e, dentro da arma, duas munições deflagradas e quatro intactas. A Polícia Civil, o Instituto-Geral de Perícias de Santo Ângelo e a Brigada Militar estiveram no local.

A advogada da companheira da vítima, Ana Caroline Viñas, havia afirmado no dia do crime que a mulher, de 33 anos, iria se apresentar à polícia ontem à tarde, o que não ocorreu. O delegado Rogério Junges disse ao JM que José Nelci agredia a mulher de 33 anos e fazia ameaças de morte. “Havia um histórico de violência doméstica. Inclusive, em dezembro, ela havia registrado queixa contra ele. Na própria manhã do crime tinha existido uma desavença, com ameaça de morte a ela”, relatou o delegado.

Este é o segundo homicídio do ano em Santo Ângelo. Na madrugada da última sexta-feira, Edson Mello da Silva, 29 anos, havia sido morto com um tiro de espingarda, em um beco da Rua Antônio Vier, no Bairro Castelarim. O jovem de 18 anos apontado pela Polícia Civil como suspeito assumiu a autoria e prestou depoimento. Ele está em liberdade.