Casal proprietário de farmácia é indiciado por crime contra a saúde pública

0
98

O casal proprietário da Farmácia Confiança que foi preso, no último dia 12 de julho, acusado de vender medicamentos abortivos foi indiciado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) pelo crime contra a saúde pública.

O Inquérito Policial que investigava o caso foi remetido à Justiça Estadual nesta sexta-feira (20). Conforme o delegado substituto da DPCA, Heleno dos Santos, o homem de 53 anos continua preso temporariamente no Presídio Regional. Já a mulher, 34, está em prisão domiciliar (restrita a sair na rua).

Santos disse que a polícia apurou que, em 2008, o homem proprietário da farmácia já havia sido denunciado pelo mesmo crime, no entanto, a denúncia não foi comprovada e o acusado alegou inocência.

Desta vez, se condenados pela justiça, poderão cumprir pena de reclusão que varia de dez a 15 anos.

O CASO

O casal foi preso durante a investigação de um aborto realizado por uma mulher, há duas semanas. Conforme a polícia, a mulher teria indicato a farmácia onde comprou o medicamento Cytotec, de comercialização proibida no Brasil.