Eleições definirão diretoria do 9º Núcleo do Cpers/Sindicato para os próximos três anos

0
126

Três chapas concorrem à direção. Filiados ao sindicato escolherão presidente do comando geral e dire

Três chapas concorrem à direção do 9º Núcleo do Cpers/Santo Ângelo – e as eleições começam hoje (10). Lúcia Bardo, da chapa 1, Silvana Hepp Galarça, da chapa 2, e Rosana Figueiredo, da chapa 3, candidatas à direção do núcleo, medem forças em meio a mais de 1.800 pessoas da região aptas a votar – entre professores e funcionários de escolas filiados ao Cpers –, que também farão sua escolha quanto à presidência para o comando central da entidade. Se nenhuma das chapas alcançar 35% dos votos, haverá segundo turno.

Além de indicar o comando do Cpers/Sindicato e do núcleo de Santo Ângelo – no qual uma das candidatas sucederá Marlene Stochero, atual diretora –, as eleições, que serão realizadas hoje e amanhã, também definirão as direções dos outros 41 núcleos regionais. No Rio Grande do Sul, são quase 82 mil filiados à entidade, que tem como concorrentes ao comando estadual as candidatas Rejane de Oliveira, da chapa 1 – que busca seu terceiro mandato seguido –, Helenir Aguiar Oliveira, da chapa 2, Neide Porfírio de Oliveira, da chapa 3, e Katiana Pinto dos Santos, da chapa 4.

30 URNAS NA REGIÃO
Segundo o presidente da subcomissão eleitoral do 9º Núcleo, Luiz Carlos Rodrigues, o horário de votação, nos dois dias, será das 8h às 22h – à noite somente nas escolas que têm turno neste horário. As urnas do 9º Núcleo, 30 no total, estarão disponíveis em sua sede, na 14ª Coordenadoria Regional de Educação e em escolas estaduais de Santo Ângelo, Entre-Ijuís, Vitória das Missões, Sete de Setembro, Eugênio de Castro, São Miguel das Missões, Giruá, Guarani das Missões e Senador Salgado Filho.

“Encaminhamos ofício para que as escolas fizessem a retirada das urnas na sexta-feira e hoje (ontem). Caso elas não venham, terão de solicitar a urna itinerante, daí então faremos o agendamento”, explica Luiz Carlos. O núcleo, com aproximadamente dez escrutinadores, buscará fazer a apuração dos votos entre a noite de quarta e a manhã de quinta – a proposta será apresentada em conversa com as representantes das chapas concorrentes. O novo mandato começará em agosto e se estenderá até 2017.

IDEIAS DEFENDIDAS
Todas as chapas concorrentes à direção do núcleo defendem o piso nacional dos professores como básico do plano de carreira. Em relação a outros temas, Lúcia Bardo destaca as conquistas obtidas pela atual gestão do sindicato e defende a mudança do vale-refeição para o auxílio-alimentação, enquanto Silvana Galarça defende a negociação como o caminho para avanços da categoria e destaca a necessidade de reaproximar o sindicato dos movimentos sociais e sociedade civil. Já Rosana Figueiredo critica o que considera o aparelhamento partidário do Cpers, e defende que o sindicato discuta a permanência ou não na CUT e o fim do sistema presidencialista dentro da entidade.