Feto é encontrado em lixeira no centro de Santo Ângelo

0
90

Fato ocorreu na esquina da Antunes Ribas com Marques de Tamandaré, na tarde desta terça-feira

No início da tarde desta terça-feira, a Brigada Militar de Santo Ângelo recebeu uma ocorrência insólita. Foi encontrado um feto dentro de uma sacola plástica em uma lixeira, na esquina da Antunes Ribas com a Marques de Tamandaré, nos fundos da AABB. As informações preliminares apontam para um possível aborto.

O feto foi encontrado por Mara Nolasco, que passava pela rua e estava procurando comida para o seu cachorro naquela lixeira. “Eu estava indo para um curso na AABB. Sempre estou catando comida para os meus cachorros, porque eu tenho cinco. Apalpei a sacola e achei que fosse comida, até ‘tava’ difícil de desamarrar, tinha mais duas sacolas, quando eu rasguei a última, foi que eu vi o pezinho e a mãozinha. Levei um choque. Nunca imaginei que fosse um bebezinho”, relata.

O comandante do Batalhão de Operações Especiais, Tenente Monteiro, foi um dos primeiros a chegar à ocorrência. Em entrevista ao repórter Irani Brum da Rádio Santo Ângelo, comentou que a cena foi muito chocante. “Nos meus 28 anos de serviço como policial, foi uma das cenas mais chocantes com que me deparei”.

A delegada da Polícia Civil Luciana Cunha da Silva, que cuida do caso, observou que o feto foi encaminhado para o IML. “Ele será avaliado pelo médico, para determinar qual é o sexo e o tempo desta gestação. A partir deste momento começa a investigação para determinar o que ocorreu, quem abandou esse feto no local, provavelmente deve ser um aborto provocado. Qualquer informação que as pessoas tiverem para ajudar no trabalho da investigação será bem vinda”, salienta.

PERÍCIA

O perito criminal Filipe Molinar, do Posto de Criminalística de Santo Ângelo, informa que, pelas avaliações preliminares, trata-se de um feto do sexo masculino, com seis a oito meses de gestação. “Pelo que foi levantado o aborto poderia ter acontecido em um período de até 16 horas antes. Possivelmente na madrugada o feto deva ter sido deixado no local. Pelas análises preliminares, o feto não encontra nenhuma deformidade, nem uma parte quebrada, nada”.

Segundo o perito, foi realizada uma série de análises no local do crime para colher provas. “Fizemos algumas verificações para colher impressões digitais, análises de sangue, da dimensão do feto e outras informações que vamos verificar posteriormente em laboratório para passar um resultado adequado. Tem muitos elementos na cena que podem indicar a autoria”, complementa.

A polícia solicitou também as imagens de câmeras dos prédios próximos ao local, para identificar quem deixou o feto na lixeira.