Lojistas de Santo Ângelo são assaltados dentro de ônibus em Santa Catarina

0
101

Assalto foi praticado por cerca de 10 homens armados com fuzis

Após sete horas de viagem, que iniciou na manhã de domingo (2), cerca de 120 passageiros que haviam saído do Rio Grande do Sul passaram por momentos de tensão após terem os ônibus que viajavam interceptados por criminosos em Santa Catarina. O crime ocorreu em Brunópolis, no Planalto catarinense. Ao todo, três coletivos foram atacados.

O DESESPERO DE QUEM FOI ASSALTADO

Nos ônibus viajavam lojistas da região, de cidades como Cruz Alta, Santo Ângelo e Santa Rosa. Um lojista de Cruz Alta, de 44 anos, que viajava acompanhado da mulher, de 36 anos, e que pediu para ter a identidade preservada, conta que estava no último coletivo do comboio. Ele notou que havia algo estranho quando o ônibus parou no meio da estrada. Eles calculam que ficaram pelo menos uma hora em poder dos assaltantes, entre a revista que foi feita pelo ladrões, recolhendo dinheiro, até serem liberados do bagageiro.

VIAGEM TRADICIONAL

Esta era uma viagem tradicional realizada por comerciantes gaúchos que vão a São Paulo em busca de mercadorias. Por isso, havia pessoas de diversos municípios gaúchos, e os pontos de partidas do comboio também ocorriam em locais diversos. O comerciante de Cruz Alta e a mulher pegaram o coletivo no município de Santo Augusto, às 9h. O assalto foi às 16h.

Segundo o lojista, um dos assaltantes bateu no vidro do primeiro ônibus, alegando que precisavam entrar porque havia uma denúncia de que eles estavam transportando armas. Dentro dos veículos, eles usavam rádios para se comunicar com os comparsas.

O grupo estava no início da viagem de compras à São Paulo. Retornaria na quarta-feira. O caso foi registrado na Delegacia da Polícia Civil de Curitibanos, em Santa Catarina.

VÍTIMA CONTA COMO FOI O ASSALTO

Um lojista que não quer se identificar, contou como ocorreu o assalto. Ele disse que os assaltantes, fortemente armados, vestidos com coletes da Polícia Civil pararam os três ônibus em um trevo.

Eles obrigaram os motoristas a entrarem em uma estrada de chão e fizeram uma limpa. Depois pediram para que todos tirassem as roupas e colocaram todo mundo no bagageiro.

O motorista de um dos ônibus contou que o primeiro assaltante que chegou mandou que ele abrisse a porta, pois havia uma denúncia de que estavam transportando armas. Mas quando entraram já gritaram para todo mundo colocar a mão na cabeça e abaixar. Enquanto os lojistas iam para esta estrada de chão eles já recolhiam o dinheiro. No percurso, deram três tiros.