No feriadão da Páscoa, 957 veículos são autuados

0
122

A Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Rodoviária Estadual intensificaram o trabalho de fiscalização durante o feriadão da Páscoa. Ao todo foram 957 veículos autuados, sendo 273 feito pela PRF e 684 pela PRE. Foram registradas infrações por excesso de velocidade, ultrapassagem em lugar perigoso, embriaguez, não uso de cinto de segurança, dirigir sem Carteira Nacional de Habilitação, entre outras.

O inspetor Edmilson Schopf, da Polícia Rodoviária Federal, informa que nas rodovias fiscalizadas pelo órgão teve a ocorrência de 11 acidentes, com duas pessoas feridas e o registro de uma morte na BR-377. O ciclista Carlos Antônio Luft, de 51 anos, foi atropelado no entroncamento com a BR-158, na segunda-feira (21), por volta das 17 horas. Schopf destaca que a fiscalização faz parte da “Operação Rodavida”, que iniciou no dia 15 e prosseguiu até o dia 21 de abril. As ações foram efetuadas nas BRs 285, 377, 468, 472, 392 e 158, numa área que engloba 34 municípios. “Podemos dizer que, apesar de uma morte, o balanço foi positivo diante das operações anteriores”, explica.

RODOVIAS ESTADUAIS
Durante a “Operação Viagem Segura na Páscoa”, a Polícia Rodoviária Estadual registrou três acidentes nas rodovias onde realiza o trabalho de fiscalização (ERSs 168, 536, 218 e 344). Dois foram com danos materiais e o outro com lesão corporal leve. O acidente envolveu um Fiat Tipo que capotou, por volta das 5h45min, no km 92, próximo à Sociedade Aquática Santo Ângelo (Sasa), na sexta-feira (18). O veículo vinha no sentido Giruá/Santo Ângelo. O motorista perdeu o controle do automóvel numa curva.

De acordo com o sargento Giancarlo Ritter, foram abordados 1.009 veículos, sendo autuados 231 por meio de abordagem e mais 453 via radar. Ao todo quatro veículos foram recolhidos, duas Carteiras Nacional de Habilitação apreendidas e uma suspensa, e registrada três infrações por embriaguez.

Ritter explica que o excesso de velocidade, o não uso do cinto de segurança e pessoas inabilitadas para dirigir foram destaques nas infrações. “Foi surpreendente a quantidade de pessoas sem CNH flagradas nas rodovias. É preciso salientar para a comunidade que nosso objetivo não é multar as pessoas, mas trabalhar para um trânsito mais seguro”, afirma.