Polícia Civil analisará imagens do circuito interno de segurança de lotérica assaltada ontem

0
111

Motocicleta utilizada na ação foi localizada e apreendida à tarde

Eram 8h de ontem (1º) quando as polícias Civil e Militar foram acionadas para comparecer na Rua Antunes Ribas, no centro de Santo Ângelo, para o registro de uma ocorrência de assalto. Dois homens armados entraram na agência Mega Loterias, que estava iniciando o atendimento aos clientes, e levaram dinheiro. A ação durou poucos minutos. A motocicleta usada pelos suspeitos já foi localizada e apreendida pela Polícia Civil, que agora analisará as imagens do sistema interno de monitoramento.

O ASSALTO
De acordo com testemunhas, dois homens chegaram em uma motocicleta Yamaha YBR azul, com placas de Santa Rosa, usando óculos escuros e capacete. Um deles entrou na agência e ameaçou uma atendente com uma arma, ordenando que ela colocasse o dinheiro do caixa em uma sacola. O outro indivíduo ficou na entrada do estabelecimento dando cobertura ao comparsa.

Ainda de acordo com testemunhas, um cliente se sentiu mal e desmaiou no momento do crime. Uma funcionária da agência se feriu levemente e passa bem. Após a ação, os dois indivíduos fugiram na motocicleta. As câmeras de monitoramento da agência registraram toda a ação.

MOTO APREENDIDA
A motocicleta utilizada no assalto foi localizada pela polícia na Rua dos Andradas, entre a Avenida Getúlio Vargas e a Rua 15 de Novembro, no centro da cidade, por volta das 13h de ontem. Ela foi recolhida ao pátio da Delegacia de Polícia. Segundo a Brigada Militar, o veículo não apresentava registro de ocorrência por furto ou roubo e estava registrada no município de Santa Rosa.

O inspetor da Polícia Civil Eduardo Machado informou quais serão os próximos passos da investigação. “Agora vamos analisar com mais detalhes as imagens do circuito de vigilância da agência. Sobre a motocicleta, ela está registrada em nome de uma pessoa e vamos averiguar se a moto foi vendida. Vimos no sistema que se trata de uma motocicleta antiga, com débitos de IPVA e multas que chegam próximo do valor de mercado, o que, às vezes, impossibilita uma transferência. Ela pode ter sido vendida a outra pessoa e o procedimento de transferência não ter sido realizado. Vamos fazer o passo a passo para saber em que situação a moto se encontrava atualmente, e se a pessoa que tem a motocicleta registrada em seu nome tem envolvimento ou não com o fato”, esclareceu o inspetor.