Santo Ângelo registra o primeiro homicídio no ano

0
91

Edson Mello, 29 anos, foi morto com tiro de espingarda. Suspeito prestou depoimento e foi liberado

Um homem foi morto na madrugada de hoje (7) na Rua Antônio Vier, no Bairro Castelarim, em Santo Ângelo, por volta da 1h30min. Foi o primeiro homicídio na cidade no ano. O jovem de 18 anos apontado pela Polícia Civil como suspeito do crime foi localizado no final da tarde. Ele assumiu a autoria, prestou depoimento e foi liberado.

ARMA FOI ENTREGUE À POLÍCIA
Na madrugada de hoje, ao chegar à região do crime, a Brigada Militar localizou Edson Mello da Silva, 29 anos, caído em via pública, no beco da Rua Antônio Vier. Ele apresentava ferimento no tórax, causado por um tiro de espingarda, e já não havia sinais vitais. O Samu compareceu ao local e atestou o óbito, e o local foi isolado até a chegada da Polícia Civil, segundo a qual Edson tinha antecedentes criminais.

Hoje, pela manhã, quatro testemunhas e a companheira de Edson haviam sido ouvidas. Depois de a Polícia Civil chegar ao nome do principal suspeito, que reside na Travessa Beira-Rio, dez policiais atuaram na operação para localizá-lo. Ele estava no Bairro João Goulart, na residência de parentes, e, sem resistir à ação da polícia, entregou a arma supostamente usada – uma espingarda calibre .16 – e foi conduzido até a Delegacia, por volta das 18h, para prestar depoimento.

JOVEM ASSUMIU A AUTORIA
O delegado Rogério Junges disse ao JM que o suspeito assumiu a autoria do crime e foi reconhecido por testemunhas. O jovem não tem antecedentes criminais. Segundo o delegado, o suspeito alegou que Edson estaria importunando moradores de uma casa do Bairro Castelarim – vizinhos de onde mora a mãe do suposto autor – na qual reside uma mulher com quem a vítima queria se relacionar. “Ele disse que foi em direção à vítima já com a espingarda e que tiveram uma discussão. Na versão dele, a vítima estava com uma faca e ficou tentando atingi-lo. Ele diz que pedia para Edson parar com as tentativas e, como a vítima não teria parado, atirou em sua direção”, relatou o delegado.

Rogério frisa que outras testemunhas serão ouvidas e, com base em todos os depoimentos colhidos e na análise da versão do suspeito, vai avaliar se será ou não necessário requisitar a prisão preventiva do jovem.